Antes gostava de férias, significavam descanso, alegria e felicidade. Agora prefiro ter menos tempo de férias ou não ter. Férias agora são sinónimo de angústia, medos e inseguranças. Confio no namorado que tenho, acredito que, quando diz que enquanto estiver comigo não vai estar com mais ninguém, ele diz a verdade. Mas tenho medo que antigos sentimentos voltem com uma simples troca de olhares ou com uma conversa. Tenho medo de o perder.

Afastei-me da blogosfera. Fechei-me em mim mesma durante muito tempo, e sinceramente, nunca pensei  que voltaria a escrever aqui. Hoje senti saudades deste mundo e de aqui escrever.

aguenta coração.

Te amo 24 horas por segundo.

Não estou a gostar de muita coisa. Não gosto do sentimento de perda que neste momento sinto em relação a ele. Não gosto de sentir que ele tem segredos para mim. Não gosto da amizade que ele tem com ela. Não gosto de sentir ciumes dela. Mas a verdade é que sinto, e que cada vez que 'sonho' que eles podem estar juntos, o meu coração quebra em mil. Tenho um medo de morte que ele comece a sentir algo por ela novamente. Tenho medo de já não ser suficiente para ele, tenho medo que ele se farte de mim, tenho medo que ele se refugie na amizade que tem com ela. Tenho medo que uma noite em que eu tenha que ficar em casa - como esta quinta-feira - eles se cruzem e sintam algo mais um pelo outro do que uma amizade. Tenho medo da amizade deles, tenho medo da beleza dela e de toda a sua diversão que tanto cativa os homens. Estou com medo de o perder - a ele - que é o homem que eu amo.

Desculpem a ausência.

Andrine Klausen - outfit, bilder og mer :)

Sei que estou em falta convosco, deixei isto um pouco ao abandono, é verdade. No entanto foi por uma boa razão - a faculdade. Admiro quem consegue manter o blogue e conseguinte manter as boas notas também. Infelizmente, para mim, as coisas este ano não têm corrido da melhor forma. 
Deixei o blogue parado para me dedicar a cem por cento à faculdade, no entanto isso também não aconteceu. Envolvi-me na Comissão de Festas do meu curso e acabei eleita presidente, as coisas não correram tão bem quanto esperei, sobrecarregava-me com todas as tarefas, pois acreditava que se eu não fizesse, provavelmente não iriam fazer o que tinha pedido.
Juntamente a isso, sofri - ainda que ache que inconscientemente da parte dela - de um jogo psicológico muito duro por parte de uma colega, por sinal - vice-presidente da tal Comissão. Quem soube, até disse que estava a começar a tomar proporções de bullying psicológico. Foram tempos complicados, até porque o que a minha colega andava a fazer comigo estava a trazer problemas para todas as áreas da minha vida e andava inclusive a relembrar-me de todas as inseguranças que tenho, que mais tarde começaram a dar problemas com o Paul.
Mas com algum apoio, afastei-me dessa colega, saí da Comissão - que tanto me custou, gostava mesmo daquilo - e infelizmente com isso parece que me fui afastando da minha turma, e agora esse assunto está enterrado.
♡ Living dead ♡ | via Tumblr

Não gostei do facto de por eu não vir com ele para Faro, vá logo convidar a outra para vir com ele. Sei que não agi correctamente ao ir ver as suas mensagens, mas queria ter a certeza de que não estava a ser injusta com ele, mas foi realmente ele a convidá-la. A piada é que ele só me contou que lhe tinha dado boleia porque eu disse à Titiz que ela poderia ter vindo com ele, se essa conversa não tivesse surgido eu nunca saberia. E depois vem com conversas de que já não tem qualquer tipo de interesse por ela, no entanto na mínima oportunidade vai logo ter com ela. Estou cansada. Nunca vou ser como ela, nunca. Ela é magra, linda e eu nunca vou ser nada disso. Às vezes tenho duvidas se ele não terá nada com ela, assim de vez em quando. Era compreensível, o que eu realmente não compreendo é porque é que ele está comigo. Eu não tenho nada que ela não tenha, mas ela tem muita coisa que eu não tenho. Muito possivelmente é o hábito, a rotina a que está habituado.